Erro
  • Erro ao carregar módulo MySQL server has gone away SQL=SELECT m.id, m.title, m.module, m.position, m.content, m.showtitle, m.params, mm.menuid FROM gourman_modules AS m LEFT JOIN gourman_modules_menu AS mm ON mm.moduleid = m.id LEFT JOIN gourman_extensions AS e ON e.element = m.module AND e.client_id = m.client_id WHERE m.published = 1 AND e.enabled = 1 AND (m.publish_up = '0000-00-00 00:00:00' OR m.publish_up <= '2015-07-30 08:04:53') AND (m.publish_down = '0000-00-00 00:00:00' OR m.publish_down >= '2015-07-30 08:04:53') AND m.access IN (1,1) AND m.client_id = 0 AND (mm.menuid = 112 OR mm.menuid <= 0) ORDER BY m.position, m.ordering

O PALMITO PUPUNHA

palmito pupunhaAmeaçado de extinção pela exploração predatória, o palmito brasileiro, um dos tesouros de nossa flora e de nossa gastronomia, começa agora a contar com um forte aliado nos esforços pela sua perpetuação: o crescimento do cultivo sistemático do palmito pupunha.


Aproximadamente 97% da produção nacional de palmitos em conserva são extraídos de forma predatória das palmeiras juçara e açaí, provenientes da Floresta Amazônica e da Mata Atlântica. Os cerca de 3% restantes referem-se ao pupunha, cujo cultivo sistematizado teve início em 1989, no Estado de São Paulo e principalmente no Espírito Santo, onde já existem alguns milhões de palmeiras em plena produção.
Chamado também de palmito ecológico, o pupunha possui algumas características que o diferem do palmito tradicional. Menos fibroso, macio e de sabor mais adocicado, o pupunha possui uma massa de diâmetro maior, que os produtores convencionaram chamar de coração do palmito.
Até alguns anos atrás considerado um produto sem grande apelo comercial, o pupunha começa agora a fazer parte dos cardápios dos principais restaurantes de São Paulo e do Rio de Janeiro, já podendo ser adquirido in natura em lojas especializadas.
Na La Gourmandise, você encontra o palmito pupunha nas seguintes opções:

• Fios pupunha: semelhantes ao macarrão spaghetti, já vêm pré-cozidos. É só descongelar e preparar pratos quentes e saladas.

• Carpaccio de pupunha: além do próprio carpaccio, pode servir como base para saladas e canapés.

• Picado de pupunha: é só descongelar e utilizar em risotos, cremes, recheios de tortas e saladas.

• Creme de pupunha: pronto para ser consumido.

• Recheio gourmet: para recheio de vol-au-vent, crepes, tortas e pasteis, além de servir como acompanhemento de peixes e carnes.

Obs.: Os três primeiros itens podem ser utilizados em dietas com restrição de glúten.

 

 
  Parceiros